sábado, 16 de fevereiro de 2008

Resumo de sexta

Hoje, a grande maioria das palestas da área de desenvolvimento seriam muito boas. Uma tarde inteira garimpando Ruby até na Lua. As de Lua foram apresentadas por Sérgio Queiroz, estudante da TecGraf da Puc-Rio, de onde saiu a linguagem. Já sobre Ruby on Rails quem palestrou foi Júlio Monteiro, um usuário avançado da linguagem.

Em ambas, foram mostrados aspectos técnicos, histórico e características das linguagens. Falando brevemente, como já dito, Lua surgiu no laboratório de tecnologia de computação gráfica da Puc-Rio em 1993, ganhando mais notoriedade internacional a partir do momento em que a LucasArts a utilizou em grande parte do desenvolvimento do game Grim Fandango e, por suas características, a linguagem acabou sendo bastante adequada ao desenvolvimento de jogos.

Ruby, por sua vez, surgiu no Japão, também no início da década de 1990. Apesar de sua larga utilização, seu uso pelo ocidente só se intensificou com a tradução de toda a documentação para o inglês. Já o framework Rails foi desenvolvido para dar apoio à criação do sistemo de projetos BaseCamp. A idéia é conter bastante coisa pronta para só efetivamente programar nos casos particulares e exceções.

O amigo Ézyo lembrou-me de aproveitar o ambiente para fazer contatos para palestras aqui em Belém no Fórum Paraense de Software Livre. Fiz questão de convidar os palestrantes das duas linguagens, além do Luciano Ramanho da comunidade de Python -- isso certamente poderá dar uma boa mesa redonda. Também consegui falar com o próprio Sérgio Amadeu que se prontificou. E ainda o colega Paulo, com o Ginga, o middleware para tv digital do Brasil.

Curioso que ambos palestrantes citaram o ranking do TIOB de linguagens de programação.

Hoje também foi dia de Marcos Pontes, o astronauta brasileiro, falar no Campus Party. Essencialmente contou sua experiência na viagem, os treinamentos, a rotina e tudo o mais. Fiquei trabalhando num site nosso e aproveitando as dicas dos colegas blogueiros durante o resto da noite.

Um ponto positivo a destacar que soube foi o desfecho de uma tentativa de furto de notebook. Dois garotos tentaram sair do pavilhão com notebook sem ter o número de cadastro. O segurança não teve dúvidas: os abordou e os encaminhou à delegacia de polícia. É um ponto positivo pois não tínhamos noção se furtos seriam, ou não, contidos. Ponto para a segurança do evento!

É isso.

2 comentários:

Marcos disse...

Oi Marcelo, só uma correção no nome do jogo da LucasArts, que é "Grim Fandango".
T+
Romero

Marcelo Andrade disse...

Okay, Marcos. Na verdade foi proposital, apenas para ver se a audiência iria perceber :-P